sábado, 23 de setembro de 2017


POR FALTA DE FÉ PERDI A ENCARNAÇÃO

Queridos irmãos e queridas irmãs que estão infelizes, sem fé e sem esperança, não deixem que o desânimo destrua a vida de todos vocês, pois foi neste desânimo que deixei a vida terrena.
Hoje estou aqui para implorar a todos vocês que, por um motivo ou situação estão descrentes e com pensamentos ruins. Não deixem que estes sentimentos tomem conta de seu ser, ou melhor, que devorem sua alma.  
Sou um dependente químico e um suicida, verdade que me deixei levar por “amizades” tristes, mas não os culpo por nada, eu tinha a opção de dizer não e não o fiz.
Me droguei até o fim dos meus dias e, no último dia, eu fiquei lúcido diante dos meus familiares, olhei para cada um e pensei: “Você está cometendo o maior erro de sua vida nesta viagem sem volta. Você tem pessoas maravilhosas que sempre acreditaram que seria capaz de ficar limpo e ter um futuro bom ou talvez brilhante.”  Será que foi um anjo que dizia essas coisas em meus ouvidos? Seria um aviso? Ou a minha consciência me mostrando o que eu ia deixar para trás e que seria responsável pelo sofrimento de cada um, tendo eu desencarnado consciente do meu erro e da dor que ia levar de todos?
Fiz a minha viagem, sofri a minha dor e fiquei paralisado pelo meu erro e na escuridão dos lamentos dos meus. Fui resgatado por misericórdia de Deus e por pedido dos meus irmãos em carne, que rogaram a Deus pelo meu perdão e deixei a lama da escuridão para a luz da esperança, da recuperação da minha essência e do resgate da fé. 
Através de estudos, de serviços no bem e meditação pude ter consciência da minha total irresponsabilidade com a vida, que eu hoje a vejo, que é sagrada e bendita.
Quero que todos saibam que existe misericórdia, mas também existe dor e muita dor, não se iludam com um paraíso abençoado, e sim com a dor de recuperar a sua alma.
Deus, hoje tenho condição de pedir o seu perdão, pois tenho lucidez e conhecimento da sua grandeza. Perdão por mim e perdão aos meus familiares, me sinto digno de ser chamado de Seu filho.

Manoel Rezende, um filho de Deus resgatado por misericórdia.         
             
 Psicografia recebida em   2017.

             Médium:  M. Nicodemos.

sábado, 16 de setembro de 2017


COMETI SUICÍDIO INDIRETO USANDO DROGAS

Será que alguém pode me ajudar aqui? Estou desesperado, não sei o que pode estar acontecendo comigo. Sei que usei drogas, muitas drogas das mais pesadas, me lembro que vomitei muito e consegui sair do banheiro, daí não me recordo mais de nada.
Meus irmãos foi nessa situação que deixei meu corpo físico na Terra, um corpo jovem, forte e cheio de vida, não que eu tenha me matado, mas cometi um suicídio indireto, já que não era inocente em pensar que usar drogas da maneira que usei naquela noite eu não estivesse correndo o risco de morrer.
Hoje já a muito tempo aqui no plano espiritual eu vejo quanta negligência com meu próprio corpo, poderia ter vivido a encarnação que programei antes de reencarnar, quantas coisas se complicaram em virtude disso, e o pior de tudo como fiz minha família sofrer.
Meu pai gastou muito dinheiro tentando me tirar das drogas, por várias vezes fui internado em clínicas caras de recuperação e eu o que fiz? Saia dali e já dava o meu jeito e assim o tempo ia passando. Minha mãe, ah minha mãe!  Como a fiz sofrer, quanta dor sentiu minha mãe, quantos dias turbulentos e quantas noites sem dormir, sempre me esperando chegar em casa com medo de que um dia eu não chegasse, e infelizmente esse dia chegou e o sofrimento dela não sei descrever, enfim sofreu muito com a minha partida.
O que posso dizer a vocês jovens, que andam se metendo com drogas, que prestem bem atenção, eu comecei com drogas leves e que em alguns países são até liberadas, mas com o passar do tempo aquilo já não me satisfazia mais e eu ia sempre procurando por mais e mais e com isso ia me afundando, até que caí de vez. Não cometam o mesmo erro que eu, sofri e ainda sofro muito, não se deixem levar por esses prazeres infelizes, o preço que se paga por isso é muito alto.   
 Ando um pouco melhor, me recuperando aos poucos, mas ainda hoje 20 anos após do meu desencarne ainda sofro. Isso sem contar o desespero dos primeiros tempos, quando eu alucinado achava ainda ter o corpo e ficava enlouquecido por abstinência das drogas.
Jovens como eu, não deem aos seus pais o desgosto que eu dei aos meus, procurem coisas boas para fazer, são tantas coisas boas chamando por vocês ao trabalho no bem. Substituir as drogas por trabalho no bem os fará crescer para Deus.
Muita paz aos corações que sofrem como o da minha mãe sofreu e como ela sofreu, e ainda sofre comigo.  

Marcelo.      
             
Psicografia recebida 2017.

             Médium: Débora.

sábado, 9 de setembro de 2017

MORRI  E  NÃO  PRATIQUEI  O BEM

          Fui no mundo um andarilho. Conheci muitos lugares. Cidades, vilas e fazendas
          Eu ia com meu cajado e  meu alforge, conheci muitas pessoas interessantes. Todos me acolhiam e eu não tive interesse nem curiosidade para aprender alguma coisa fora de meu interesse.
          Até que um dia meu estômago começou a doer, eu estava a caminho de uma aldeia muito simples. Achei que era coisa boba, mas não era, pois meu estômago continuou a doer e a doer. Levaram-me para uma cidade maior e a muito contragosto me internaram para eu fazer alguns exames.
         Eu não tinha nenhum parente para me acompanhar e por isso foi a mim que o médico me disse frio e secamente que eu estava todo tomado pelo câncer. Disse-me até que eu tinha pouco tempo de vida. Aí sim me desesperei e pude pensar o que ia acontecer comigo. Eu não tinha um suporte religioso e nem familiar, pois achava isso bobagem.
         E foi assim que depois de muito penar e sofrer eu morri.
         Foi muito triste porque eu vi tudo que me sucedeu após a morte. Enterraram-me como indigente. O tempo passou eu não sei quanto tempo, pois eu dormi. E eu que nem sabia que depois morto se dormia. Fiquei hospitalizado, me trataram muito bem.
         Um certo dia apresentou-se para mim um ancião muito bondoso, que usava um cajado como eu. Disse-me:
         “Meu filho, aqui não se conta só o bem que se fez, mas aquilo que se deixou de fazer. Você não fez o mal, mas deixou de praticar o bem. Não olhou o próximo com olhar de ajudá-lo, ver suas dores e necessidades, mas chegava em um lugar buscando somente em usufruir da hospedagem, batendo papos inúteis e fazendo de sua vida uma viagem sem sentido.
          Agora filho restabeleça-se e vai cursar um curso de responsabilidade, pois vais voltar à Terra com pouca condição de viajar, ficando preso em um lugarejo onde todos irão lhe buscar, almejando bons conselhos e um olhar de doação. Vais ser sacerdote em uma das aldeias que você visitou tantas vezes. Que Deus te abençoe filho.”
          E estou me preparando para isso.

          José.  
            
            Psicografia recebida em 2017.                                     

            Médium: Catarina.

sábado, 2 de setembro de 2017


UM  HOMEM  CRUEL  ME  MATOU

Meu Mestre amado, por que desencarnei tão cedo? Não queria deixar de viver, não aceito a minha morte, quero voltar e continuar vivendo com os meus. Senhor, por quê?
Eu não consigo aceitar a morte, sou um jovem rapaz, bonito, saudável, inteligente e de bom coração. Com que direito vem um homem cruel e me tira a vida sem sequer me conhecer? Não posso crer no meu desencarne, não posso aceitar, Senhor.
Choro, choro muito e vou continuar chorando, pois não encontro razão de estar aqui e sim entre os vivos. Minha mãe querida, eu quero voltar, não me deixe aqui, por favor peço ajuda à senhora. Em suas preces, peça a Deus que eu volte, pois quero viver Senhor.
Mãe, mãe, socorro! Me ajude, não quero viver aqui, estou desesperado, quero voltar e continuar a lutar pelos meus sonhos e desejos. Quero amar e ser amado, quero ter filhos, quero ter uma família e simplesmente estou morto por um homem cruel que não deixou e não quis que eu vivesse.
Mãe, pai e irmão, me ajude, por favor! Quero minha vida novamente, não aceito estar aqui. Por favor, venham me buscar, quero minha vida de volta.
Senhor, meu Deus, onde estava que não me salvou? O que queria de mim se era um exemplo de jovem em educação e coração? Qual é a sua perfeição para que eu tivesse o direito de viver mais alguns anos? Onde errei? O que fiz para que esse homem cruel me tirasse a vida e não convivia comigo? Por quê?
Não quero ajuda, quero a minha vida, quero a minha família, o meu direito de viver, de sonhar e de caminhar entre os meus. Não quero luz, quero viver, não quero paz, quero viver, não quero colo, quero viver, não quero.... Eu quero minha vida que foi interrompida por um homem cruel.
Quero saber: onde está esse homem cruel, onde? Ele está vivo e por que ele vive? Com que direito ele vive? Deus, por que ele vive? Será que ele é melhor que eu e por isso ele vive? Eu quero minha vida novamente. Deus, por favor, me devolva o direito de viver, eu quero viver.
João Carlos foi acolhido no decorrer de sua psicografia por espíritos de luz. Devido ao seu estado depressivo, está se recuperando em sono profundo. Um irmão que busca respostas, que ainda não tem sabedoria e compreensão para saber o porquê de sua morte tão prematura e violenta em decorrência de um assalto.
Que Jesus o abençoe.
Um espírito trabalhador dessa reunião.
             
 Psicografia recebida em   2017.

             Médium:  M. Nicodemos.

sábado, 26 de agosto de 2017


UM GESTO DE AMOR ME AMPAROU NA MORTE

“O amor cobre uma multidão de pecados”

Enquanto permaneci sobre esta Terra não passei de um fardo pesado para meus familiares. Desde a adolescência rebelde, afeiçoei-me às sensações mundanas e aos prazeres fúteis da juventude. Logo engravidei de meu primeiro filho, mas nem por isso, emendei-me como dizia minha vozinha que me criara.
Abandonei as responsabilidades maternas a outrem, tal qual haviam feito comigo. O pai da criança nem mesmo dignou-se a conhecê-la, descrendo de sua paternidade diante de meu comportamento notoriamente promíscuo. 
Cedo conheci o mundo das drogas e na ânsia de sustentar o vício odiento, entreguei-me também a pequenos furtos e roubos na comunidade em que vivia. Afundei até onde um ser humano poderia fazê-lo, inibindo em mim mesma os sentimentos mais elevados, os quais se agasalhados em meu peito indócil, teriam-me poupado muitas desventuras e angústias. Outros filhos vieram ao mundo em decorrência de minha prostituição à qual lancei mão para o sustento do vício que me consumia visivelmente. Deixei-os, assim como o primeiro, em desamparo e, na falta de cuidados materiais, logo foram parar em abrigos de assistência social.
Minha pobre vozinha partiu antes de mim, talvez por tristeza causada por minhas atitudes e conduta desregrada.
Quando fui parar na cadeia, a primeira vez, já não tinha um lar a minha espera e pouco me importava com minha própria sorte. Conheci lá dentro religiosos que, sobriamente vestidos e bem calçados, vinham, de tempos em tempos, “pregar” o livro Santo na tentativa de resgatar nossas almas por meio da confissão e do arrependimento dos pecados.
Entre idas e vindas do cadeião conheci uma pobre mulher que, como eu, escolhera os caminhos errados. Presa, ainda grávida, veio a dar à luz a pobre e desamparada criança com insuficiência respiratória em noite de forte tempestade. Desenganada pela enfermeira plantonista foi deixada à própria sorte juntamente com sua genitora por horas a fio à espera do socorro que por razão do mau tempo tardou a aparecer.
Tocada pela cena derradeira e presa de forte sentimento que não sei explicar, velei noite a dentro mãe e filha, mantendo essa aquecida em meus braços até seu último suspiro.
Anos mais tarde, ao desencarnar, esquecida em uma cama imunda de pensão, que durante as noites transformava-se em bordel, pensei que estavam a me procurar criaturas horripilantes e  degradadas por sensações as mais vis. Encontrava-me em escuro corredor tentando fugir dos olhos tenebrosos que me espreitavam na sombra quando, de uma pequena faixa luminosa, surgiu um jovem olhar doce e amável. Estendeu-me a mão sem questionar meu passado ou minhas culpas. Apenas entrelaçou aos meus os seus suaves dedos e conduziu-me para fora daquele pesadelo horrível.
Era a criança que eu, anos atrás, acalentava junto ao meu seio, talvez o único gesto sincero de amor que tenha realizado em minha tormentosa existência. Apenas ele lá estava para me conduzir à saída, apenas este gesto bastou para que eu merecesse a misericórdia e hoje aqui estou, de passagem, para deixar com esta história a lição de que mesmo o mais acanhado gesto de amor pode determinar o futuro de cada qual.
Assim me despeço, já em prantos, aguardando nova chance nestas terras. 

Aline.
                                                         
Psicografia recebida em  2017.                                      

             Médium:  A Paula.

sábado, 19 de agosto de 2017


REENCARNAREI E VIVEREI APENAS QUINZE ANOS

Aproxima-se o dia do meu retorno, daqui a bem poucos dias estarei de volta à Terra, depois de quase dois séculos aqui no plano espiritual. Passei longos anos em região sombria até ser resgatado.
Depois de resgatado, fui tratado e pude entender muitas coisas, muito tempo passei em vários departamentos de aprendizado aqui e, por último, no departamento reencarnatório. Ali começou toda a preparação para o meu retorno, que ora se faz necessário.
Me preparei  muito para esse momento e, apesar de saber tudo por que irei passar, ainda assim anseio muito por esse dia.
Espero conseguir cumprir todos as dificuldades que irei passar com dignidade, a dignidade que eu não tive no passado.
Vou nascer num lar abastado, com todo conforto, no entanto não poderei ou não conseguirei usufruir de nada disso devido às enormes limitações que terei. Venho cego, com problemas  motores e mentais e com um com um coração deficiente.
Previsto está que meus pais não medirão esforços para tentar que eu viva da melhor maneira possível. No entanto, de nada servirá tanta boa vontade e recursos financeiros.
Viverei somente até os quinze anos, depois disso volto para continuar o meu aprendizado.
Meus pais me aceitaram depois de muitas dúvidas, temos história de passado remoto, mas muito marcante e não podíamos mais adiar esse momento.
Sigo muito confiante, pois sei que não terei como errar devido às minhas limitações.  Ainda não poderia retornar como uma pessoa normal devido aos imensos erros que cometi. Venho deficiente e só depois desses anos do espírito aprisionado num corpo deficiente é que poderei voltar e recomeçar como uma pessoa normal, dono do livre arbítrio. Por enquanto é só um “ensaio” para o que virá depois.
Que Deus me ajude, que esses quinze anos possam ser de muita valia, para que logo em breve a esse período de expiação eu possa retornar dono de um corpo normal e aí sim é que verei se, de fato, consegui vencer o meu orgulho e maldade.  
Que esse dia chegue logo! Enquanto isso, só peço a Jesus que me ajude e me ampare.

Manoel.  
                                                   
Psicografia recebida em 2017.                                     
           Médium: Débora S C.

sábado, 12 de agosto de 2017


UM  PAI  QUE  MORREU  PELOS  FILHOS

            A cabeça doía, e como doía...
            Vários dias, vários meses... O que seria?
       Um belo dia, que não sei dizer quando, a dor foi insuportável, eis que eu perdi minha consciência. Fiquei imóvel, mas via tudo de um lugar que não sei averiguar.
            Hoje me encontro em convalescençia.
            Minha cabeça está envolta em gases, mas já não sinto dor.
         Somente sinto que tudo poderia ser melhor se eu soubesse o que hoje eu sei que tudo se acaba com a morte, as coisas materiais...
            Era tão grande meu desassossego com os meus negócios que eu esquecia de mim, mesmo daquela dor que me torturava.
           Queria dinheiro, fortuna para os meus filhos, cada vez mais, e hoje acho que  eles nem se incomodaram comigo e seguem suas vidas normais, apenas lembram vagamente de minha existência, e eu aqui estou pedindo preces e orações de todos vocês para o meu completo restabelecimento.      
         
            Otacílio.
                                                                        
          Psicografia recebida em 2017.                                     

          Médium: Catarina.